quarta-feira, 22 de junho de 2011

BLOGAGEM COLETIVA: ECA em casa...FALA SÉRIO!

O primeiro ente responsáve pela proteção da criança/adolescente, segundo o Estatudo da Criança e do Adolescente é o ESTADO. Quando vemos filmes americanos em que a criança falta a uma semana de aula e a assistente social vai na casa miserável daquela criança e cata a filharada e recolhe ao abrigo público, alguns de nós pensa que é invasão demais, outros acham um absurdo para com os pais e com as próprias crianças, mas o que não gera discoórdia é: no Brasil isso não acontece! Mas é impossível mesmo, primeiro porque quando a escola pública consegue dar uma semana completa de aula já é coisa de matéria para o Fantástico, então como esse mesmo Estado pode exigir qualquer proteção familiar à criança?

Certa vez, numa pós de Direitos Humanos, o professor de Filosofia dos DH nos orientava sobre o trabalho final do curso e deu uma dica inesquecível, desse jeito mesmo "Gente, o pessoal de baixa renda entende mais de seus direitos do que os nossos filhos! Eu canso de ver estudos de caso sobre o ECA com crianças de escola pública, mas é arrogência nossa não educar ou pesquisar nossos próprios filhos..." Duas colegas abraçaram a ideia e seguiram a trilha, uma fez pesquisa bibliográfica sobre o ECA e a outra um estudo de caso com estudantes de escolas particulares e públicas do Recife. Bom, não terminei o curso e perdi contato com ambas, mas até onde acompanhei as crianças de escolas públicas davam de lavada nas outras, com relação ao conhecimentos de seus direitos e mais, a quem procurar para fazê-los valer.
O fato é que não costumamos nos ocupar de questões que não nos tocam diretamente. Ué, e os direitos do meu filho não me dizem respeito? É como a Ceila disse, é como se o ECA fosse feito para os pobres. É também como se DH fosse "direito do preso" e no entanto é um erro terrível, mas largamente propagado.
Conhecer é o primeiro passo para desmistificar quase tudo nessa vida, e a isso acho que serve muito bem o vídeo postado no Blog Desabafo de Mãe.

Este post serve à blogagem coletiva do Blog do Desabafo de Mãe.

Um comentário:

Ceila Santos disse...

Patrícia,
Você traz a questão principal desta blogagem coletiva: não há interesse externo de que nós tenhamos conhecimentos sobre nossos direitos. Os mais necessitados só tem acesso ao conhecimento porque os especialistas cientes dos deveres da sociedade os alertam para tentar modificar um pouquinho a realidade de quem tem é quase invisivel para a sociedade economica. Valeu! Espero poder partilhar muito do que especialistas sabem pra gente se apropriar dos nossos direitos. Abraços e obrigada! Segundona continuo essa conversa contigo lá no Desabafo de Mãe