sexta-feira, 24 de maio de 2013

Carta para Marina grandona


Esta postagem faz parte da Semana Mundial do Brincar, promovida pela Aliança pela Infância
Marina e eu 
 Estamos em fim de maio de 2013. Já rolou tanta água por debaixo de nossa ponte que quando penso no futuro e busco situar um ponto chego quase a ficar tonta, imaginando quanta coisa pode vir a acontecer daqui até lá!
Teu pai e eu estamos – como sempre estivemos – trabalhando para que o mundo seja melhor do que é hoje. Imagino que se tua adolescência não for das mais rebeldes você fará parte dos “estranhos”, que é o grupo ao qual pertencemos. Sempre fomos estranhos e nunca nos importamos com isso, mas é que fomos encontrando outros estranhos tão legais, tão mais legais do que nós dois que fomos então achando cada vez melhor sermos estranhos.
 
O interessante é que queremos que os estranhos aumentem em número e proporção em relação aos não-estranhos. Essa dinâmica esquisita, minha filhota, não é tão fácil. Você tem 4 anos, está na terceira escola e há alguns dias estamos pensando se mudamos você da que está atualmente no final do ano ou nas férias de junho. Dizem que queremos criar você numa bolha, é a pior das mentiras! Quero você forte, autônoma, consciente de seu elo com a humanidade, mas para isso não preciso expô-la a violência, música sem qualidade, programas de TV, histórias de Princesas. Não quero chegar em casa e ver você, aos 4 anos de idade, me perguntando como escreve “NUNCA”, já que MAMÃE, PAPAI, BEIJO e outras palavras você já sabe escrever e “não precisa mais” da nossa voz. Quero que o tempo que está dedicando a isso seja usado e abusado em brincadeiras, fantasia e Marinices, que é como costumamos chamar as suas invenções. As pessoas acham que buscar uma escola diferente das que temos encontrado seja um exagero, já que a atual é uma das melhores do estado – aos olhos alheios.
Pois então, minha pequena, o que circula na cabecinha de mamãe por esses dias são preocupações com sua formação e sua não-deformação. E meu maior desejo, desde que você nasceu, é poder passar mais tempo contigo. Se isso acontecer bem naquela fase em que tudo o que você não quer é um dos pais por perto, sorry, será o desejo atendido da melhor mãe do mundo!

 

4 comentários:

Silma Matos disse...

Desejamos tantas coisas p/ os nossos filhos não é mesmo? Aqui tbm tivemos dificuldades com escola, procurávamos uma que tivesse qualidade e não quantidade, são muito pequenos p/ ficarem sendo cheios de coisas.
Adorei a tua carta, linda mesmo.
Bjs
#semanamundialdobrincar

Luma Rosa disse...

Oi, Patrícia!!
A melhor escola será aquela que tem as características mais aproximadas dos conceitos de bem-viver da família. Por enquanto, pode escolher as amizades da Marina e além das crianças da família, as da escola influenciam muito na formação. Por isso encontrar aquela escola que tem mais pais de alunos "estranhos".
:)
Como sempre, uma carta para guardar para o futuro! E que a escolha pela escola seja a melhor!!
Beijus,

Patrícia Gomes disse...

Luma, estou numa vibe de aceitar o que a Vida manda...então estou procurando não me perturbar (d+) com o assunto e estou crendo que a resposta vai chegar. A abertura dos Jogos Escolares foi um terror, menina, ainda preciso me acalmar p fazer um post sobre isso. Qdo estar ainda mais calma vou conversar com a coordenadora. Decidi não trocar de colégio antes de dialogar.

Patrícia Gomes disse...

Obrigada, Silma! E que bom saber que não estamos sozinhos, Paulo e eu, nesse barco :-)
Bjus e grata pela visita