quarta-feira, 9 de abril de 2014

Objetividade ou TUDO O QUE VC NÃO QUER OUVIR QUANDO ESTÁ SE SEPARANDO


Após um mês fora da escola conseguimos organizar as coisas para Marina retornar à sua rotina. Nossa pequena não reclamava, embora percebêssemos nas entrelinhas as saudades que sentia das amigas – e do “melhor amigo” capítulo à parte.
A organização: o pai leva à escola, eu pego. O problema: só chego atrasada, pois trabalho noutra cidade e pego o trânsito no pior horário. A solução: paguei a uma pessoa que Marina adora para ficar com ela na recepção da escola até eu chegar, só para ela não ficar sozinha com @s funcionári@s. 
Imagem daqui

Inicialmente, ela fez a maior festa, depois começou demonstrar nervosismo e dizer que não podia ser assim, que tinha que ser eu ou seu pai:
- Mãe, você não entende. Ela não é você. Ela não é o meu pai.

- Meu amor, vocês nem vão sair da escola, ela só vai te fazer companhia...

E minha filhota ficando mais e mais agoniada.

- Mãe, só quem pode me levar e pegar na escola é você ou meu pai, entendeu?

- Não, Marina, não entendi...

- Porque vocês são um casal. Ela não é um casal. Ela não é um pedaço de mim, você entende?


- Tudo bem, meu amor, eu morri entendi, não se preocupe, a gente dá um jeito.


2 comentários:

Luma Rosa disse...

Poxa... Sem palavras! Tão pequenina para entender tudo o que está se passando, mas tão desejosa dos pais estarem juntos. Vai demorar essa adaptação e vocês terão que ter um certo traquejo emocional.
Beijus,

Patrícia Gomes disse...

É isso, Luma! Aos poucos estamos nos habituando à nova realidade e tenho muita sorte (bênção) por ser mãe duma criatura que sabe verbalizar tão bem o que sente. Numa situação de crise às vzs deixamos ver as mensagens não verbais d@s pequen@s e acabamos machucando sem querer.
Os adultos somos nós e esse é o foco, o problema é nosso e precisamos fazê-la sentir-se mesmo nessa situação.
Grata pelo afago.
Beijos