terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Primeiro dia de aula e Nova escola

Saindo de casa a caminho da escola
Sabe aqueles acasos da vida que nos mostram que "Pôxa, que massa que não foi como planejei"?
As aulas de minha pequena começaram no último dia 6, segunda-feira, véspera da cirurgia do Paulo e justamente no dia de uma consulta nossa (minha e de Paulo - aquela ao nutrólogo maldito rsrsr), então não teríamos tempo de ir à consulta e ainda voltar para pegar nossa boneca. Ficou na casa da avó.
Na terça, dia da cirurgia, dormiu na casa da avó, mas na quarta fui buscá-la para levá-la à aula. Não queria que perdesse a primeira semana, pois acho importante já que são crianças bem pequenas e é um momento de novidades para a maioria, as relações estão se fazendo ali e não queria que pegasse o bonde andando, como foi no ano passado. Se bem que ela se entrousou muito rapidamente, mas mesmo assim há a mudança de escola e ... confesso, preocupação de mãe mesmo.
Levei até a sala, conheci professora e assistente, me apresentei e expliquei que Marina é "olhuda": colocamos lanche que ela gosta, mas não pode ver ninguém mastigando que pede, então disse que em casa estamos tentando tirar-lhe esse hábito e por isso ela não estranharia se a professora negasse. A "tia" disse que há lanches coletivos, que o compartilhar é estimulado, mas que ela sabe lidar com essa situação, que eu não me preocupasse. Achei as duas profissionais muito animadas e receptivas com as crianças, o que já me aliviou.
AS COMPARAÇÕES
Inevitáveis, neh? Quando ia buscar minha pequena na escola anterior ela estava na sala com seus 15 coleguinhas brincando sob a supervisão das professoras. Nesta, muito maior e cheia de turmas, encontro Marina sentada de perninhas cruzadas com outras tantas crianças hipercomportadas assistindo Patati Patatá na TV (que Deus permita eu nunca saber que o DVD é pirata...mas eu vou perguntar, eu sei que vou). Isso me incomoda, parte o coração, mas realmente não existe outra escola como a outras. Neste quesito, esta é "dos males o menor". Gostei do porteiro, da pedagoga, enfim de todo o corpo funcional que lida com as crianças. É claro que só saberei detalhes com o caminhar do ano.
Eu disse que ela tem "módulo"? Pois tem, e saí da escola em prantos quando fui pagar/pegar os miseráveis. Tudo bem que eu estava na semana de TPM e o drama das lágrimas faz parte, mas sinceramente, para mim aquilo pareceu um manual. Já acho errado o uso de módulo nas outras sérias e quanto mais no "Maternal". Mas pesquisei todas as escolas de melhor nível e esse negócio de módulo é unanimidade - as pedagogas falam com tanto prazer e orgulho que quase salivam, ave credo!
Sei que essa escola trabalha com projetos e estou dando um tempinho para conversar com a professora sobre o uso dos módulos e os projetos ... como se complementam, ao invés de se chocarem? Para mim, isso ainda é um mistério.
Na escola anterior trabalhavam muito com músicas e gostávamos muito disso. Quando Marina chegava com canções que não conhecia, eu procurava na net a partir do que ela conseguia cantar e então cantávamos juntas. Até levei o CD Pequeno Cidadão e alguns da Palavra Cantada para as professoras de lá. Na sexta-feira minha pequena chegou cantarolando uma canção nova e isso aquietou meu coração, pois juro que eu não estava gostando da ausência de musiquinhas. Enfim, chilique materno. Três dias de aula e tanta agonia, neh?

O ENTROSAMENTO
Entrosadíssima!*

Assim que entramos na sala, fui conversar com a professora, me apresentar e tals e Marina já ficou aí nessa mesa com outras crianças. Nossa, como fico feliz quando vejo isso! Cada uma das crianças estava com a mãe ao lado, pois é a fase de adaptação. Como veem, minha nêga não precisou da mamãe, a não ser para tirar a lancheira e entregar à "tia".

* Não pedi permissão aos pais para postar as fotos de seus filhos, por isso as feições distorcidas.

3 comentários:

Futura mãmã disse...

Pelos visto esta tudo a correr bem nao e' mesmo ...
Nunca vi mais tao aprimoradas nesse aspecto senao voces brasileiras.
EM portugal as coisas sao bem diferentes. As maes nao ficam la' do lado delas... seja que idade ou escola for.
E as escolas sao sempre as maes perto de casa e nao porque o pai acha melhor ou pior, ou porque fazem isto ou aquilo.
Voces estao de parabens. bj

Eli Martins disse...

Ah que emoção deve ser, um misto de querer proteger e soltar para o mundo.
Uma fofa, séria que nossa rsrs.
Bj

Cintia Fernandes disse...

Bee Marina está toda fashion e extrovertida. lindaaa! Já fico imaginando o dia de Clarissa na escolinha. aliás, pq vc mudou ela de escola? nao lembro do post sobre o motivo!